Monthly Archives: Julho 2012

Balsemão sai de cena…

Balsas revela uma vez mais ser a versão portuguesa de Murdoch. Terá sido o exemplo deste a originar a decisão de sair de cena para evitar males maiores?

Percebeu finalmente o estado de merdia a que fez chegar o grupo Impresa e que de nada adianta gritar a todos os ventos, usando as suas armas merdiáticas SIC, Expresso e Visão para travar o surgimento de um novo concorrente.

Já aqui o disse inúmeras vezes que Balsemão não sabe gerir, e muito menos o saberia fazer em concorrência real. E é isso que vai surgir de mais uma TV privada. Perderá Balsemão mas ganha o pluralismo dos media em Portugal.

Incapaz de travar a mudança, sai de cena Balsas e passa a liderança previsivelmente ao número dois, Pedro Norton, que terá de impedir a morte do grupo. Se não o fizer será Norton o rosto da desgraça…

Mas continua nos bastidores a controlar o grupo. Deixa no entanto de dar a cara e isso pode bastar para levar a aparentes mudanças e tornar assim mais simpática a Impresa, que, na guerra desenfreada para parar a privatização da RTP, tem disparado para todo o lado e gerado um ambiente hostil, em particular junto do governo.

Não se pense contudo que o grupo de merdia de Balsas vai parar. Nos bastidores é onde Balsas se sente bem, pode deixar de ser o rosto da gestão, ceder mesmo a execução da mesma, mas as linhas mestras de utilização dos seus merdia para servir interesses particulares vão manter-se.

Anúncios

DN acompanha fluxo migratório das “aves raras” que aindam o compram

O Diário de Notícias, tal como o JN e O Jogo (três diários da Controlinveste) começaram a ser distribuidos em Espanha, durante os meses de verão.

Dizem que o fazem para “acompanhar o fluxo migratório de férias dos seus leitores”… Pelos últimos resultados de audiências do DN, bem se pode dizer que  é bom que o DN procure acompanhar o fluxo migratório das, perdoem-me a expressão mas ajustada à metáfora, “”aves raras” que ainda o compram. Não vá perdê-las de vista e ficar sem elas…

Merdição de audiências não é credível

“Não é credível”, disse a semana passada o presidente do conselho de administração da RTP, sobre a merdição de audiências feita pela GfK.

Com base na  auditoria da PricewaterhouseCoopers  ao sistema de medição de audiências “o painel de medição de audiências em Portugal não é representativo”. E “de um painel não representativo não é possível extrapolar para a população. Os resultados do atual sistema de medição de audiências não são credíveis e o sistema não serve”, defendeu Guilherme Costa.

Pergunto agora: quem vai indeminizar os prejudicados? É que a merdição conta muito para as receitas de publicidade das TV’s. E, em sentido contrário, pela mesma lógica, não vão ter os beneficiados (SIC à cabeça) de devolver dinheiro que entretanto ganharam à custa de merdições que lhes eram favoráveis?…

Impresa solidária com RTP…

O “Manifesto contra a privatização da RTP” está assinado por colaboradores do Grupo Impresa. O dito começou, aliás, por ser publicado no semanário “Expresso” (será a sede do movimento?).

Que bonita é a solidariedade da Impresa com a sua “concorrente passiva” (mais do que passiva no que a finanças diz respeito, dirão os contribuintes). Não tarda Balsemão e Mercedes lançam uma campanha da SIC Esperança para salvar a RTP… de se tornar uma séria concorrente da SIC…

CM contrata nas TV’s privadas

SIC e TVI estão a perder efectivos para o novo projecto de TV do Correio da Manhã. Depois de José Carlos Castro ter já saido da estação de Queluz de Baixo para assumir o cargo de diretor-adjunto do Correio da Manhã, foi agora Carlos Rodrigues a sair da SIC (onde era subdiretor de informação) para desempenhar também funções de diretor-adjunto até transitar para o CM TV, que arranca em março de 2013.

Está agitar-se o mercado das TV’s, quem bem precisa de sair do marasmo a que tem sido votado pela troika RTP-SIC-TVI.

 

Depois da caça ao Relvas, abriu época de defesa da Lusa

Já abriu a época de defesa da Lusa. E ninguém melhor que gente que por lá andou a ganhar uns bons ordenados de director ou presidente para defender a “sua” estimada agência, paga por todos nós. No “i” Eduardo Oliveira Silva deixa uma bela prosa onde nota as virtudes da casa que a tornam um “valor estratégico”.

Entretanto, a agência de comunicação do ex-director de Informação da Lusa, Luis Miguel Viana, que várias vezes foi à AR por ter, digamos,  uma relação muito próxima com o governo, publicou um texto em defesa da agência, que o secretário-geral da dita (pago por todos nós) distribuiu internamente.

E o empenho na campanha de defesa da Lusa é de tal monta que Luis Miguel Viana  apresenta videos sobre o que pensa da agência de notícias no site da sua agência de comunicação…

Expresso descobriu Marques Mendes

O Expresso, pelo visto, só este ano descobriu um rapaz desconhecido da maioria dos portugueses e que por isso é destacado como Revelação na lista dos mais Influentes de 2012, criada pelo semanário.

Parabéns aos olheiros do Expresso e ao director Costa por esta fantástica descoberta!

O resto da lista, que, pasme-se o leitor, inclui o patrão Balsas e todo o seu séquito de comentadores arregimentados, é bom exemplo (salvo raras excepções) do estado de miséria generalizada  a que chegou este país.

 

48M Desempregados

Um número que deve envergonhar os países ditos desenvolvidos. Quase 48 milhões de pessoas estão desempregadas nos 34 países da OCDE e este cenário de merdia vai manter-se, pelo menos, até finais de 2013.

Sai um Expresso já hoje para travar privatização da RTP?

Ideia para Balsemão: que tal lançar já hoje uma edição do Expresso com tudo o que a imaginação da casa possa arranjar para impedir que amanhã se dê o primeiro passo na privatização da RTP?

Não interessa se a manchete for falsa, imprecisa ou omissa, porque já sabemos que a culpa será sempre de quem escondeu a verdade. Importante é lançar uma tal polémica que obrigue o Estado a não privatizar para que alegremente continuem todos os contribuintes a ajudar Balsemão a manter os rendimentos na SIC, pagando para que ele não tenha mais um concorrente.

É que Relvas mesmo com uma licenciatura tirada num ano parece saber dar a melhor resposta aos intelectuais do Expresso. Vão lá ver se ele teve equivalências na 4º classe, se ganhou medalhas duvidosas em torneios escolares, ou se fez alguma vez batota a jogar à sueca com os amigos.

Mas sejam rápidos, encontrem o que for possível que a coisa está em marcha e há que conseguir travá-la, custe o que custar!

Frase do dia

“Se quisesse que os meus sábados fossem mais tranquilos era parar o processo de privatização da RTP. Teria os sábados com menos ataques, menos críticas”.

Miguel Relvas