Tag Archives: Pinto Balsemão

Balsemão abre campanha eleitoral da Direita

Balsemão diz que António Costa não sabe governar…! O “patrão” da Impresa abriu a campanha eleitoral da direita e do PSD!

 

“Balsemão apela: os portugueses não devem entregar o poder “a quem provou não saber governar”

Pinto Balsemão apelou esta sexta-feira ao voto útil à direita e deixou um recado: não se deve entregar o poder “a quem provou não saber governar”, referindo-se aos anteriores governos socialistas.

Pinto Balsemão acredita que o PSD pode ganhar as próximas eleições

O fundador do PSD Francisco Pinto Balsemão defendeu esta sexta-feira no Cadaval que o PSD deve ganhar as próximas eleições legislativas, porque “não é útil entregar de novo o poder a quem provou que não sabe governar”.

“Podemos e devemos ganhar as próximas eleições legislativas. Temos ainda uma parte da nossa missão para cumprir. Não faz sentido para o país, não é útil entregar de novo o poder a quem provou que não sabe governar. Não vamos cruzar os braços”, afirmou Francisco Pinto Balsemão.

O militante número 1 do PSD discursava na inauguração da sede do Cadaval, integrada na sessão comemorativa dos 40 anos do partido.”

Balsemão, dos trambolhões do Expresso às condecorações expresso

Semana certamente agitada para o Balsas. Nos primeiros oito meses do ano, o Expresso’, que já só vende 71 595 exemplares por edição entre janeiro e agosto de 2014, caiu  10,1%!!, face ao período homólogo do ano anterior… Quando chegar aos 69 mil temos de fazer uma celebração à altura de tão curioso número.

Já a ‘Visão’, solidária, esteve à altura do acontecimento e caiu 22,1%, para que o Expresso não ficasse tão mal na foto dentro do grupo Impresa, a estrela da companhia no que toca a descidas nos concentrados de merdia e que, antes que se fine, já merece ser condecorado, à semelhança do Balsas!

A propósito, republico, sem longos comentários, por desnecessários, esta bela história  do Público sobre a condecoração expresso de Balsemão um dia antes de abandonar o Governo para deixar o país nas garras FMI… Um caso notável que faz de Balsemão um personagem, a todos os títulos e em todos os títulos, notável!

Balsemão foi condecorado um dia antes de cessar mandato como primeiro-ministro

Antigos primeiros-ministros com responsabilidades nos pedidos de assistência financeira internacional foram condecorados. Sócrates ainda não.

Pinto Balsemão recebeu a condecoração um dia antes de abandonar a chefia do Governo. Mário Soares foi condecorado dois anos e sete meses depois de ter cessado funções como primeiro-ministro.

Além da Grã-Cruz da Ordem de Cristo, estes dois ex-governantes partilham a fatalidade da entrada do FMI em Portugal. Tal como no caso de José Sócrates, a assistência financeira internacional chegou depois de anos de responsabilidades governativas em São Bento dos antigos líderes do PS e PSD.

A diferença para o último socialista a liderar um governo português está na condecoração. José Sócrates ainda não foi agraciado com a habitual grã-cruz que os governantes recebem pelo seu “exercício das funções de soberania”.

Foi Ramalho Eanes quem condecorou Mário Soares em Abril de 1981. Quase três anos depois de ter abandonado a chefia do II Governo Constitucional, durante o qual – em Maio de 1978 –Portugal solicitou apoio do FMI.

O então Presidente da República, Ramalho Eanes, foi mais rápido a homenagear Balsemão. O líder do VIII Governo recebeu a condecoração a 8 de Junho de 1983, um dia antes de o seu Governo cessar funções para ser substituído por um executivo liderado por Mário Soares.

Três meses depois, em Setembro de 1983, esse Governo enviava uma carta de intenções ao FMI que assinalaria o segundo resgate internacional a Portugal pelo FMI. Em nenhum destes casos, as responsabilidades políticas pelo colapso financeiro do Estado português foram tidas em conta para a concessão da condecoração.

E, no entanto, três anos e quatro meses depois de cessar funções, Sócrates não recebeu ainda de Cavaco Silva a condecoração que o actual Presidente da República concedeu já a 32 personalidades portuguesas.

Ao longo dos seus dois mandatos, Cavaco Silva condecorou com a Grã-Cruz da Ordem de Cristo um antigo primeiro-ministro, sete ex-ministros, um ex-presidente da Assembleia da República e um presidente de um governo regional.

Dois meses antes de se completarem cinco anos do fim do mandato de Santana Lopes como primeiro-ministro, o social-democrata seria condecorado por Cavaco Silva.

Santana Lopes faz parte de um lote de cinco personalidades ligadas ao PSD agraciadas com o mais alto grau da Ordem em questão. Além do ex-chefe de executivo, foram condecorados por Cavaco Manuela Ferreira Leite (sua ministra da Educação que depois chegou a presidente do PSD), Eduardo Catroga (seu ministro das Finanças), Pires de Miranda (seu ministro dos Negócios Estrangeiros) e João Salgueiro (ministro das Finanças de Balsemão).

O actual Presidente concedeu a mesma honra a quatro políticos ligados ao PS. O primeiro foi Almeida Santos, que cessara funções como presidente do Parlamento, em 2008. Um ano depois, quando exercia as funções de ministro dos Negócios Estrangeiros, foi a vez de Luís Amado. Menos de um ano após ter cessado as suas funções como presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos César recebeu a grã-cruz. E António Vitorino foi homenageado dez anos depois de ter abandonado as funções de comissário europeu para a Justiça e Assuntos Internos.

Balsemão Lidera… Quedas em Bolsa!

impresaA Bolsa mergulhou no vermelho na semana passada e o grupo Impresa perdeu quase 10% do seu valor, caindo para 0,831 euros por acção, liderando as quedas.

Atrás do grupo de Balsemão surgiu, em segundo lugar no ranking das quedas, o BCP (menos 6,85%), e em terceiro lugar, ex-aequo, perdendo ambos 6,06%, ficaram o Banif e os CTT.

Desde o início do ano, o grupo de Balsemão perdeu já 24% do seu valor em Bolsa.

Nalguma coisa, Balsemão tinha de aparecer a liderar…

87854b28-c029

 

Como o Expresso consegue “descobrir” o que toda a gente já sabia…

O “Expresso” é uma coisa fantástica, única, mesmo neste país dos merdia! Esta semana, quando toda a gente está farta de saber há anos que quem geriu o dossier dos submarinos foi a ESCOM, do grupo BES, o Expresso “inesperadamente” descobriu um “passageiro inesperado” nos submarinos: o GES! Isto é mesmo uma coisa… “inesperada”, para quem viva em Marte e não tenha comunicações!

Caso dos submarinos tem um ‘passageiro inesperado’: o GES

Balsemão quer ser senador e defende revisão da Constituição

Balsemão quer ser senador e defende revisão da Constituição para voltar à política por cima. Ou seja, Balsemão quer uma revisão da Constituição que crie um fato à medida dele, uma segunda câmara para acomodar “senadores”. A começar por ele, como é evidente!!!

O plano de Balsemão parece retirado da saga Star Wars, onde o maquiavélico Senador Palpatine, foi progredindo, progredindo até se tornar Supremo Chanceler da República… vem é já tarde para tanta ambição.

Impossibilitado de concretizar o seu sonho de sempre, ser Presidente da República, Balsemão em fim de vida quer que a Constituição seja revista para criar um lugarzinho à medida da sua ambição possível. E quer, como é óbvio, que a revisão seja rápida pois o “prazo de validade” do futuro senador está praticamente esgotado…

Balsemão foi entregar ao PSD este “caderno de encargos” com a nota de “urgente”, no jantar de encerramento da sessão legislativa do grupo parlamentar do PSD, na Assembleia da República.

Joaquim Goes Favorito do Expresso para o BES

O semanário do Balsas tem um favorito à liderança do BES e dá todos os argumentos para que seja o eleito. Com a família perdida em guerras e as acções a perder-se em quedas, o BES é um navio errático à espera de um comandante, para substituir o destronado Ricardo Salgado. Quem conseguir nomear esse “comandante” ganha o controlo do navio e da sua rota…

Reviravolta no BES: acionistas negoceiam alternativa para suceder a Salgado

“Nova reviravolta no BES, apurou o Expresso: a família Espírito Santo está a negociar com outros acionistas uma alternativa para substituir Ricardo Salgado como presidente executivo. Não é uma nova lista, é a mesma – e Morais Pires já não a lidera. Salgado deixa-o cair. A sucessão pode ser apressada para antes de 31 de julho. Com acordo alargado, o Banco de Portugal levantará menos reservas. Joaquim Goes volta a estar em cima da mesa”.

“A indefinição pode agora ser ultrapassada se ficar claro que há uma nova lista, que ela é aprovada pela maioria dos acionistas e aceite pelo supervisor. E tudo isso pode acontecer mais depressa do que era suposto”.

“Em perspetiva está a apresentação de uma lista que dispense a espera de um mês durante o qual o banco fique em suspenso. O Código das Sociedades Comerciais prevê que, no caso de um presidente executivo anunciar a sua saída e houver um consenso alargado e representativo dos acionistas em relação ao seu substituto, uma substituição temporária pode ser acelerada, mesmo antes de uma assembleia geral definitiva. Isso retiraria a pressão do mercado sobre as ações e acalmaria os próprios clientes”.

“Mas quem? O nome não está ainda fechado mas Joaquim Goes volta a aparecer como candidato”.

 

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/reviravolta-no-bes-acionistas-negoceiam-alternativa-para-suceder-a-salgado=f878794#ixzz36QHUspCR

 

Balsemão saca-nos 4,7 Milhões e em troca dá-nos lições de moral

001

Diz Balsemão que a manchete do Correio da Manhã de Sábado (Balsemão Saca 4,7 Milhões ao Estado) “só pode ser lido de uma maneira: o vil capitalista Balsemão conseguiu ir buscar 4,7 milhões de euros do Estado, no caso da falência do BPP – Banco Privado Português –, passando à frente dos outros credores e dos interesses do próprio Estado. A utilização do verbo “sacar” não tem outra interpretação”….

Ah, tem tem. Tem a interpretação de que um dos fundadores e accionistas do BPP – que nessa qualidade tinha a obrigação de estar atento á gestão que lá se fazia- vai sacar  $4,7 milhões que tinha em “contas de retorno absoluto de investimento”, repito “investimento”, já depois desse caso de polícia que é o BPP ter sacado aos contribuintes 450 milhões de euros.

Ou seja Balsemão esteve ligado à criação e gestão de um banco que sacou milhões a todos nós contribuintes… Sacar tem por isso uma interpretação bem mais alargada. A manchete do CM só peca por defeito bem longe de ser uma armadilha como diz Balsemão. Armadilhados fomos nós ao longo dos anos em que os accionistas sempre se mostraram muito confiantes no seu bom investimento, basta ver  que aprovavam contas, bónus e votos de louvor pelos bons serviços de Rendeiro…

É genial a justificação dada por Balsemão para o recurso, que levou agora a que um tribunal pago por todos nós aceitasse devolver dinheiro que Balsemão investiu num banco muito bem pago por todos nós: “Recorremos dessa decisão para os tribunais, por uma questão de princípio, isto é: por entendermos que, mesmo que as possibilidades de receber alguma retribuição do que era nosso fossem diminutas ou nulas, não havia razão para sermos discriminados em relação aos outros credores”.

Ou seja, em matéria de princípios ficamos esclarecidos. Balsemão acha que o normal é que alguém que era  accionista, ou seja, um dos donos, do BPP seja tratado do mesmo modo que  outros que nada tinham que ver com a gestão do banco. Só quem nõa é sério pode achar que esta visão do mundo está errada. E se calhar até lhe deviamos devolver também o investimento que fez em acções. Proponho a Mercedes Balsemão que inicie desde já uma campanha solidária na SIC Esperança.

Mas, calma meu caro leitor, para o sensibilizar ainda mais para a causa, note que Balsemão não só não deve ser discriminado como é especial:

“Com a agravante de o visado e vilipendiado, ou seja, eu, ser o Presidente do Conselho de Administração de um grupo de comunicação social, a Impresa, que é concorrente direto do grupo de comunicação social Cofina, proprietário do Correio da Manhã”.

Todos de joelhos e mão estendida com mais uns cobres, porque chegou o senhor Presidente!

 

000

Balsemão à babugem…

balsemc3a3oO patrão da Impresa sentou-se na primeira fila da sessão soarista de comemoração do “25 de Abril”, ao lado de Sócrates e face à mesa onde pontificavam Soares e Lula… O patrão Balsemão teve de cantar a Grandola de pé e em frente a um Soares que cantava de punho erguido!

Que procura obter de Lula o capitalista dos media…? Pode nem ser difícil de adivinhar mas, seja o que for, é coisa de peso suficiente para obrigar o velho Balsemão a umas grandoladas revolucionárias… Que cena divertida!

Expresso: Prendas para Belém em papel de parvo

No Expresso, generosidade de Natal do Balsas?, dão-se prendas a Belém e a São Bento. Nem que seja preciso inventá-las, bem inventadas, e embrulhá-las em papel de parvo jornalismo. Ora veja-se o exercício vergonhoso deste merdia, revelado no Câmara Corporativa.

 

No “top 11” do frete político

Escrever por encomenda costuma dar mau resultado. No seu vasto caderno de encargos, o Expresso tinha esta semana uma tarefa difícil: colocar o Presidente da República no top das pesquisas do Google em 2013, nem que para isso fosse necessário destronar… uma actriz porno.
O escriba até começou bem, no título, tal e qual lhe venderam.
Mas depois, no texto, descai-se e, afinal, Cavaco Silva cede o pódio de “o mais procurado” a Érica Fontes (!), sendo remetido para um modesto “sexto lugar”, atrás, por exemplo, de Cristiano Ronaldo. Que a bota (o texto) não bata com a perdigota (título) é coisa que, como sabemos, nunca incomodaria os intrépidos jornalistas do Expresso.
A encomenda tinha, porém, ainda um picante (ui, que excitação!) – demonstrar que Cavaco Silva é mais popular no Google que o alegado primeiro-ministro (deve ter havido festa de arromba na Casa Civil…). Só que, aqui, o coração do escriba falou mais alto: apesar de ficar atrás de Cavaco, Passos teria que permanecer no pódio. Vai daí, inventa-se um “top 11”, feito à medida de tão distinta figura.
Tanto pontapé na lógica em tão curto texto é obra!

Balsemão compensa saudades do Apartheid

O sempre mordaz Jornal de Angola dedicou um dos seus cartoon diários ao jornalista da SIC Mário Crespo, vestindo-o com uma gravata com o símbolo nazi e fazendo uma alusão ao boss, a Balsemão.

Este último não comenta… Porque para comentar tem o Expresso, o maior irresponsável por toda esta bronca com Angola, e que tem ultrapassado em muito aquilo que um mérdia minimamente sério pode e deve fazer: servir o jornalismo, ao invés de se servir dele para lançar ataques dirigidos, com informações seleccionadas, como no caso dos das 26 altas figuras portuguesas que não referiu quando lançou na praça pública, com violação do segredo de justiça, o nome das figuras angolanas investigadas.  Um facto que está no centro da irritação do presidente de Angola, como há dias revelava o DN em manchete.

Na imagem um jornalista questiona Crespo, com gravata vermelha e símbolo nazi lá colocado, sobre se tem saudades do Apartheid, e este responde: “não, amigo, agora sou pago por Balsemão”… Ou seja, parece que Balsemão conpensa as saudades do Apartheid.

Talvez a ligação de Crespo e Balsemão que aqui revelei em tempos ajude um pouco a contextualizar esta ideia que o Jornal de Angola faz de ambos:

Balsemão e Crespo: Muito mais forte é o que os une… a Kaúlza de Arriaga